Pequenos produtores rurais de Santa Rita do Araguaia passam a contar com nova linha de crédito

Com o objetivo de proporcionar oportunidades mais justas para o pequeno produtor rural, além de desenvolver, fortalecer e fomentar o empreendedorismo no campo, a Prefeitura de Santa Rita do Araguaia, por meio da Superintendência de Agricultura em parceria com a Agência Goiana de Assistência Técnica, Extensão Rural e Pesquisa Agropecuária (Emater), realizou nesta terça-feira (10), uma reunião para explicar a nova linha de crédito rural “Produtor Empreendedor”, lançada pelo Governo de Goiás, na última semana.

 

Com valores que vão de R$ 3 mil a R$ 50 mil, a medida oferece três categorias de crédito, de acordo com a necessidade de cada projeto. A primeira disponibiliza crédito de até R$ 3 mil, com taxa de 0%, carência de três meses e prazo de 36 meses. A segunda proporciona valores entre R$ 3 mil a R$ 21 mil, com taxa de 0,25% ao mês, carência de três meses e prazo de 36 meses. Já a terceira categoria é para tomadas de R$ 21 mil a R$ 50 mil, com taxa de 0,5% ao mês, carência de 12 meses e prazo de 60 meses. O financiamento pode variar entre 80% e 100% do investimento, e para ser liberado o recurso, podem ser exigidos garantia real, avalista, seguro ou aval.

 

Para que os produtores do município possam usufruir do crédito, é preciso a instalação de uma agência da Emater em Santa Rita do Araguaia. O Supervisor Regional do órgão, José Luiz Pereira Lopes, explicou que para a realização da ação, é necessária a autorização do presidente da entidade, além de um convênio com o município, que possibilitará trazer técnicos para orientar os pequenos produtores rurais. “Os produtores do município, querem e precisam disso, então vou levar essa demanda para o presidente, mas acredito que até o dia 30 (de março) já teremos uma posição”, explica o Supervisor.

 

O Superintendente da Agricultura Familiar do município, Clóvis Alves de Souza, explica que para a concretização do convênio será criado um fundo de aval. “Esse fundo de aval terá participação do Estado e das prefeituras do Estado de Goiás. Estamos buscando todos os mecanismos possíveis para facilitara vida do produtor, e auxilia-lo na hora de investir em sua propriedade”, fala Clóvis.

 

A moradora do assentamento Santa Luzia, Marizete Angelo Lopes, conta que ela e o marido plantam mandioca, criam peixe e produzem queijo na propriedade em que vivem, mas que a única orientação que têm é herdada dos familiares. “Nós precisamos mesmo de uma assistência técnica, pois às vezes acontece uma coisa, e a gente fica sem saber o que fazer”, explica a produtora.

 

Já o produtor de queijo cabacinha, Ercione Agenor Gonzaga, conta que além do derivado do leite, planta mandioca, milho e cria galinhas para sobreviver, e com a chegada do órgão possibilitará o desenvolvimento das propriedades.  “Isso é muito importante para nós, pois com a Empaer aí, vai desenvolver as coisas que as pessoas pretendem fazer na agricultura familiar”, completa.

 

A Prefeita Tânia Salgueiro falou sobre a importância de apoiar o pequeno produtor rural. “Devemos contribuir para o desenvolvimento do agronegócio de nosso município, mas isso só será possível se oferecermos recursos a quem mais precisa, o pequeno produtor rural, que necessita trabalhar com segurança”, finaliza a Prefeita.

 

 

Assessoria de Imprensa

Desenvolvimento para todos

Imagens

Compartilhar

Desenvolvido por