CRAS oferece oficinas de violão para a população de Santa Rita do Araguaia

A prefeitura de Santa Rita do Araguaia, por meio da Secretaria Municipal de Assistência Social e Desenvolvimento Humano (SMASDH) através do Centro de Referência de Assistência Social (CRAS) oferece durante a semana, várias oficinas à população santaritense como: Muay Thai, equitação, hidroginástica, ritmos mix e caminhada orientada.

 

 

Lorena de Souza Guimarães, coordenadora do CRAS, fala da importância em oferecer as oficinas aos santaritenses. “Dentro do CRAS temos o Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculo (SCFV), que é especifico para crianças, adolescentes e idosos. O intuito é que eles aprendam algo dentro do contesto social e que ocupem o tempo ocioso com essas atividades”, relata a coordenadora.

 

Conforme a coordenadora, os alunos das oficinas do CRAS recebem ainda o acompanhamento em forma de visitas domiciliares. “Nós temos um grupo de orientação, que vão até às casas dos alunos participantes das oficinas para verificar a situação social de suas famílias. Nesse contexto os funcionários do CRAS trabalham alguma questão que é vivenciada no dia-a-dia, e realizam alguma dinâmica para envolver toda a família”, disse a coordenadora.

 

Oficina de Violão

 

Hoje o CRAS atende mais de 72 crianças, adolescentes, adultos e idosos. De acordo com Antônio Higino de Araújo Bezerra (Gino), facilitador da oficina de violão, as aulas de violão vão além de aprender a tocar o instrumento, pois nas aulas com as crianças vários assuntos são conversados para ajudar eles a crescer enquanto cidadãos. “Nossa intenção além de ensinar a tocar um instrumento é falar sobre respeitar os pais, a ser um bom aluno e estudar para chegar à fase da vida adulta bem estruturada, e ser bons cidadãos. As aulas ainda ocupam o tempo ocioso que eles têm após, ou antes, da escola. Outro ponto importante são eles se ocuparem com outras atividades que não sejam jogos de internet ou algo relacionado,” relata o facilitador.

                                           

Gino ainda comenta sobre as aulas. “A música é uma arte e mexe com a sensibilidade das pessoas, e vejo que estas crianças, jovens e idosos que fazem essa oficina tem conseguido aprender a tocar e os que têm mais dificuldades nós damos incentivo e apoio até que o aluno aprenda e se sinta confiante em tocar”, disse o facilitador.

 

Andressa Ralciane Bezerra de Sousa, 8 anos, é aluna da oficina de violão, e está animada com as aulas e pretende seguir tocando o instrumento. “Eu interessei em fazer a oficina de violão, porque eu vi a oportunidade de aprender a tocar um instrumento. O nosso professor aqui é muito legal, desde o primeiro dia estou frequentando as aulas e estou feliz. Hoje eu já sei tocar três músicas e que mais gosto é Adeus Ano Velho, Feliz Ano Novo. Fico entusiasmada e quando chego à escola já vou contar para os meus amigos o que aprendo e as conversas que temos aqui. O nosso professor da oficina dá conselhos pra gente, e é muito bom isso pretendo continuar na oficina até o final das aulas”, conta a aluna.

 

O aluno Ladeson Cirilo Barbosa de Jesus, 11 anos, conta que começou a fazer a oficina através da indicação de sua mãe, e está feliz com os resultados das aulas. “Minha mãe ficou sabendo e me falou e eu decidi fazer essa oficina, porque eu queria aprender a tocar violão e essa era a oportunidade, porque antes de vir aqui no CRAS ficava em casa jogando no celular, e agora ocupo esse tempo vago com algo útil,” relata o estudante.

 

Adultos e idosos participam da oficina de violão no CRAS

 

 A oficina de violão é oferecida para todas as faixas etárias, além de crianças, adolescentes e jovens, os idosos também frequentam a oficina com o mesmo “gás” dos mais jovens. “ Aqui não parece que estou dando aulas para idosos e pessoas mais maduras, todos se empenham muito para realizarem as posições e aprenderem as músicas. Trabalhar com esses alunos é algo diferente, pois aqui eles são mais experientes eles tem a vivência que os mais novos não possuem, com isso fica bem mais fácil, as nossas conversas tem outro teor não preciso de dar muitos conselhos sobre a vida, na verdade eu que aprendo com eles”, disse o facilitador.

 

O Aposentado José Ramos dos Santos, 61, vê na oficina uma forma de sair de sua rotina e interagir com outras pessoas, além de aprender a tocar violão. “ Esse é o meu primeiro contato com violão, e estou empolgado porque, gosto de cantar e agora posso fazer as duas coisas juntas, estou muito feliz com isso. Tenho fé em Deus que eu irei conseguir chegar até o final da oficina”, conta o aposentado.

 

José Lopes Rodrigues, 81, é o aluno mais velho da oficina, apesar da idade está animado em aprender a tocar a violão. “Apesar da minha idade estou empolgado porque consigo acompanhar toda as explicações sem problemas, o professor é muito paciente em atender as minha dificuldades e fico feliz com isso. Eu tenho um compromisso que eu fiz comigo mesmo de não falhar em nenhuma aula, e estou conseguindo cumprir essa meta, e irei terminar esse curso”, relata José Lopes.

 

A oficina de violão é oferecida nas segundas, terças, quartas e quintas-feiras, no CRAS da cidade de Santa Rita do Araguaia, no período da manhã e vespertino. Para realizar a inscrição os interessados devem procurar a coordenação do CRAS.

 

Estagiária Marcela Pavão

Assessoria de Imprensa

Gestão Desenvolvimento para todos!

Imagens

Compartilhar

Desenvolvido por